terça-feira, 28 de setembro de 2010

Relação dos homens com os animais


A civilização dos bichos é um episódio pouco estudado para entender a história da humanidade e da própria natureza. Porém, a professora da Universidade Salgado de Oliveira, Mary Del Priore, e a pesquisadora do Arquivo Nacional, Cláudia Heynemann, debateram sobre a importância do tema. O assunto também é destaque na Revista de História da Biblioteca Nacional deste mês.

A trajetória do homem se entrelaça com a dos animais há muitos séculos. Cláudia Heynemann lembrou que no passado havia o conceito de que a natureza tinha uma finalidade em função da espécie humana. Mas aos poucos, essa concepção mudou quando começaram a atribuir sentimento aos bichos e a domesticá-los. “Segundo Darwin, o homem acelerou a marcha do meio ambiente ao intervir na sociabilidade dos animais”, ressaltou a pesquisadora.

Claudia falou de uma relação de longa data: o cão como melhor amigo do homem. Mas destacou a ambivalência do cachorro, que além de proteger e fazer companhia, também comia a carniça, atividade essencial para manter a limpeza do local.

Sobre as funções exercidas pelos bichos, a professora Mary Del Priore enfatizou que inicialmente eles eram adestrados de acordo com a estética. Depois, o que começou a ser valorizado foi a utilidade. “O melhor era aquele que servia para mais coisas, como produzir alimento, defender o lar, servir sua pele de couro e comer o lixo”, disse Mary, que ainda comparou o Brasil a uma grande fazenda no século XIX.

A professora criticou a demora dos historiadores em pesquisar sobre a trajetória dos animais, que já estava presente em relatos dos antigos viajantes. Ela contou que apenas no século XIX eles migraram para a literatura e se tornaram fontes de estudo.

A visão dos bichos como entretenimento também foi abordado pela historiadora. Segundo ela, as corridas de cavalo e as rinhas de galo, que era considerado um esporte, foram as primeiras formas de lazer no Rio de Janeiro, por exemplo. “Eram eventos que reuniam as pessoas para se divertir”, ressaltou. Positiva ou negativamente, a convivência entre homens e animais marcou a transformação da sociedade brasileira.

**Texto escrito por: Monique Cardone

**Site: http://www.revistadehistoria.com.br/v2/home/

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. É interessante ver a "representação" das fazendas no que diz respeito a domesticação de animais, nos apartamentos. se voc~e observar os apartamentos ou nas casas de modo geral, veremos plantas, animais, que acabam levando a naturalização para dentro da urbanização.

    Um estudo maior sobre História e Natureza revela essas coisas.

    ResponderExcluir